SB_Mkt_Geral




Segundo informação disponível no site do Instituto Aço Brasil a Ternium cuja usina está localizada no Rio de Janeiro e que produz atualmente cerca de 12 milhões de toneladas está promovendo uma ação para substituir em mais de 30% do consumo de gás natural fóssil

O gás de origem renovável será proveniente do aterro sanitário de Seropédica que passa a ser um gerador de combustível renovável para a indústria local. A Ternium Brasil é o primeiro cliente da empreitada. A siderúrgica passará a receber um volume de até 72 mil Nm3 por dia de biometano, isso significa a substituição de mais de 30% do consumo de gás natural fóssil da Ternium por uma fonte mais sustentável.

O biometano será para uso térmico no processo de produção de aço, injetado na tubulação de gás de baixa pressão do complexo industrial, atendendo às áreas do alto forno, aciaria, coqueria e de sinterização. A substituição contribui localmente para a redução das emissões de gases do efeito estufa no Estado do Rio de Janeiro, uma vez que o aterro sanitário deixa de queimar os gases e passa a produzir combustível renovável.

O aterro de Seropédica, o maior da América Latina, atende cerca de 10 milhões de pessoas e recebe por dia 10 mil toneladas de lixo do Rio de Janeiro. O biogás, proveniente da degradação da matéria orgânica dos resíduos sólidos urbanos, é purificado na usina construída no local por meio da remoção completa de CO2, retirada de enxofre e outros contaminantes, e redução de nitrogênio. O biometano é o biocombustível gasoso obtido a partir desse processo e pode ser aproveitado como combustível veicular ou para geração de calor – que é o caso da Ternium.