Produção de aço sofre novo revés em julho

Setor se ressente da falta de retomada da atividade econômica mas acredita que a retomada está próxima.

Segundo dados divulgados pelo Instituto Aço Brasil a produção brasileira de aço bruto foi de 19,7 milhões de toneladas nos primeiros sete meses de 2019, o que significa uma queda de 4,3% frente ao mesmo período do ano anterior. A produção de laminados no mesmo período foi de 13,5 milhões de toneladas, queda de 2,4% em relação ao registrado no mesmo acumulado de 2018. A produção de semiacabados para vendas totalizou 5,3 milhões de toneladas de janeiro a julho de 2019, uma retração de 7,3% na mesma base de comparação.

Esta informação vem corroborar a afirmação de Marco Polo de Mello Lopes, presidente executivo do Instituto na última coletiva de imprensa realizada em São Paulo, na qual ele afirmou que a siderurgia só irá retomar o caminho do desenvolvimento no momento em que o próprio Brasil retomar o crescimento econômico, pois a atividade da siderurgia é indissociável com o crescimento nacional.

SB135 producao Iabr

As vendas internas foram de 10,7 milhões de toneladas de janeiro a julho de 2019, o que representa uma retração de 0,5% quando comparada com o apurado em igual período do ano anterior.

O consumo aparente nacional de produtos siderúrgicos foi de 12,1 milhões de toneladas no acumulado até julho de 2019. Este resultado representa uma queda de 1,5% frente ao registrado no período de 2018.

As importações alcançaram 1,5 milhão de toneladas no acumulado até julho de 2019, uma queda de 1,6% frente ao mesmo período do ano anterior. Em valor, as importações atingiram US$ 1,5 bilhão e recuaram 5,4% no mesmo período de comparação.

As exportações atingiram 7,7 milhões de toneladas, ou US$ 4,6 bilhões de janeiro a julho de 2019. Esses valores representam, respectivamente, queda de 1,8% e de 6% na comparação com o mesmo período de 2018.

Nesta exportação está acentuada a dificuldade que o Brasil está tendo na colocação de seus produtos em face das restrições mundiais que começou nos Estados Unidos e rapidamente se espalho pelos cinco continentes e também pela crise por que passa a Argentina, que é um dos grandes parceiros brasileiros.

Se considerarmos exclusivamente o mês de julho de 2019 a produção brasileira de aço bruto foi de 2,4 milhões de toneladas, uma redução de 20,6% frente ao apurado no mesmo mês de 2018. Já a produção de laminados foi de 1,9 milhão de toneladas, 2,2% inferior do que a registrada em julho de 2018. A produção de semiacabados para vendas foi de 710 mil toneladas, uma redução de 22,9% em relação ao ocorrido mesmo mês de 2018.

As vendas internas recuaram 6,9% frente a julho de 2018 e atingiram 1,6 milhão de toneladas. O consumo aparente de produtos siderúrgicos foi de 1,8 milhão de toneladas, 7,1% inferior ao apurado no mesmo período de 2018.

As exportações de julho foram de 1 milhão de toneladas, ou US$ 584 milhões, o que resultou em aumento de 1,9% e redução de 6,9%, respectivamente, na comparação com o ocorrido no mesmo mês de 2018.

As importações de julho de 2019 foram de 201 mil toneladas e US$ 220 milhões, o que representou uma redução de 6,9% em quantum e de 8,3% em valor na comparação com o registrado em julho de 2018.