É consenso geral que os negócios vêm crescendo em quase todas as frentes. Até podemos ponderar se isso está acontecendo no ritmo e na medida adequados, mas as mudanças são inegáveis. O quadro político ainda permanece muito vulnerável, e mesmo que o Poder Executivo tenha rapidamente apresentado projetos que prometem mudar e modernizar a cara do Brasil – me refiro ao projeto da Reforma da Previdência e do Projeto Anticrime – o comportamento do Legislativo coloca em xeque a esperança de que vamos ter mesmo outro Brasil. Para os ansiosos essa “enrolação” é mortal.

Deixando de lado a parte que cabe aos governantes e sobre a qual temos poucas influências, há uma revolução silenciosa acontecendo neste exato momento. E, sem percebermos, estamos sendo envolvidos por ela todos os dias. Segundo dados do IBGE, nos últimos três anos foram fechadas mais de 300 mil empresas no país, de todos os portes e pelos mais variados motivos.

As empresas que sobreviveram – ou mesmo aquelas que apareceram depois do forte “tsunami” nos negócios – têm, agora, que colocar os pés no chão, e seus gestores terão de ficar 100% ligados em todos os movimentos à sua volta, com olhos abertos para cada detalhe do negócio, a fim de continuarem disputando um lugar no mercado.

Até as pequenas coisas do dia a dia mudaram. Por exemplo, a confirmação de presença do funcionário – que, antes, era registrada por um cartão de ponto, inserido em um relógio outrora barulhento, e que se alguém esquecesse de acertar o horário não servia para nada – hoje é feita por meio de um cartão eletrônico, de uma impressão digital, ou mesmo de um aparelho de reconhecimento facial. Há também, o home office, sistema de trabalho em que o funcionário sequer sai de sua residência para prestar seus serviços.

Nesta edição da revista Siderurgia Brasil, apresentamos vários exemplos dessa nova era e do comportamento que deve, obrigatoriamente, passar a ser adotado para “embarcarmos” nos novos tempos. Entre as reportagens, temos uma matéria sobre Transformação Digital: sim, é ela quem está mudando a sua empresa, pois hoje sem cuidar da cultura, tecnologia e processos de forma gradual, emparelhadas e mantendo a mesma sintonia, sua organização não vai a lugar nenhum.

Falamos também da influência da modernização na política. A Deloitte que é uma das maiores consultorias mundiais promoveu um evento em São Paulo, que contou com a nossa participação, no qual os mais diversos aspectos da vida de um cidadão e das empresas foram revirados e esmiuçados tendo como pano de fundo a Revolução Digital que já está aí. Por exemplo, você consegue viver sem um aparelho telefônico móvel? Confira a matéria e você vai nos dar razão.

Há também análises bem elaboradas do cenário econômico nacional, das relações internacionais entre o Brasil e os Estados Unidos e uma reportagem na qual mergulhamos de cabeça em um dos principais centros de serviços de aço do Brasil, mostrando toda a sua eficiência e competitividade.

Ao mesmo tempo, continuamos lutando pela liberdade de Imprensa, pois mesmo com os acontecimentos tristes que insistem em nos rodear, usamos a revista Siderurgia Brasil para, mais uma vez, colocar você no pódio dos leitores mais bem informados da cadeia siderúrgica brasileira.

E continuamos aguardando seus comentários, críticas e sugestões por meio de nossos canais de comunicação. Fale com a gente!

Boa leitura!