Agregar valor e facilitar a vida dos clientes cada vez mais exigentes dos produtos processados em aço são os focos do trabalho da Soluções Usiminas.

Marcus Frediani

Criada em 2010, como resultado da união de cinco empresas líderes do setor de transformação e distribuição do aço, a Soluções Usiminas conta com uma moderna infraestrutura em suas linhas de produção, garantindo qualidade e alto conteúdo tecnológico para os mais exigentes setores industriais.

A empresa se destaca no mercado brasileiro pelo seu amplo portfólio de produtos e serviços de transformação e distribuição de aços planos, trabalhando com os aços fabricados pelas usinas da Usiminas e agregando serviços – como corte e solda a laser –, logística e a adaptação de volumes às necessidades de clientes de qualquer porte.

“Mais do que isso, a integração com o mercado permite agregar cada vez mais competitividade aos processos industriais, por meio de desenvolvimentos customizados e alta capacidade de atendimento”, enfatiza Ascanio Merrighi, diretor-executivo da companhia, nesta entrevista exclusiva à revista Siderurgia Brasil. Confira esses e outros diferenciais da atuação da Soluções Usiminas nesta e nas próximas páginas.

Siderurgia Brasil: Como e por que nasceu a Soluções Usiminas?

Ascanio Merrighi: A Soluções Usiminas foi criada para consolidar a estratégia da Usiminas de agregar valor a seus produtos, concentrando suas unidades de serviços e de distribuição de aços planos. Ela surgiu formalmente como empresa em 2010, a partir de um projeto implementado ao longo dos anos de 2008 e 2009, como resultado da fusão de cinco ativos nos quais a Usiminas tinha participação majoritária ou total: a Rio Negro, a Dufer, a Fasal, a Zamprogna e do complexo de plantas industriais da Usial/Usicort. Com a reunião dessas empresas, a Usiminas ficou com 69% de participação acionária na nova companhia, seguida pela Metal One Corporation, braço da área de metais da Mitsubishi, com 20%, e a família Sleumer, antiga controladora da Fasal, com 11%, sendo que não houve injeção de capital para união da companhias.

Qual a representatividade da empresa no cenário siderúrgico nacional?

Bem, somos hoje o maior processador de aços planos no Brasil, com capacidade instalada de 2 milhões de toneladas/mês, com a maior variedade de tipos de processamento, desde os mais simples, como corte transversal e longitudinal até produtos figurados, como corte da lateral de uma traseira, uma frente ou, ainda, uma porta de um veículo, que saem de nossas linhas com esses formatos diretamente para as montadoras. Nosso portfólio integra mais de 20 mil itens, entre os quais se destacam uma ampla linha de perfis estruturais e de tubos, incluindo os galvanizados.

Quantas são, onde estão localizadas as unidades industriais e qual a cobertura de atendimento?

Atualmente, temos seis unidades próprias de negócio estrategicamente localizadas e presentes em quatro estados brasileiros: duas em São Paulo (Guarulhos e Taubaté); duas em Minas Gerais (Santa Luzia e Betim), uma em Porto Alegre; e outra em Suape, Pernambuco. Além disso, temos mais de 20 unidades atuando como parceiros, trabalhando diretamente com a gente. A proximidade dessas unidades industriais com os grandes centros de negócios confere à empresa um eficiente processo logístico, que permite atender a clientes em todo o território brasileiro, por meio dos modais ferroviários, cabotagem e terrestre.

E de onde vem o aço que vocês processam?

Noventa por cento dos produtos que vendemos são única e exclusivamente fabricados a partir do aço da Usiminas. Os outros 10% de nossas vendas totais vêm de nossa prestação de serviços terceirizada, realizada sobre a matéria-prima que nossos clientes compram diretamente de outras e colocam em nossas unidades para processamento.

Ao entrar em seu nono ano de operação, o que você pode dizer sobre o nível de receptividade do mercado dado à Soluções Usiminas?

Tem sido excelente desde o início de nossas atividades lá atrás, em 2019, e vem crescendo a cada ano. Desde sempre o mercado percebeu que o nosso foco principal é agregar valor aos produtos da Usiminas, apresentando a eles um pacote de produtos e serviços bastante diferenciado. Hoje, estamos em curva ascendente, até pelo fato de sermos a única empresa no Brasil processando volumes recordes de itens. Estamos vivendo um momento de grandeza semelhante àqueles vivenciados nas melhores fases da Usiminas sozinha e com a somatória das empresas que já compunham o nosso grupo, tanto em volume, quanto em faturamento. Então, reforçando o que já disse, nosso enfoque hoje é aliar em nosso portfólio desde a oferta produtos e serviços básicos, evoluindo cada vez mais no sentido de acrescentar sofisticação em pacotes nos quais os clientes enxergam valor agregado.

Nesse sentido, um dos serviços mais comentados dentro do portfólio de vocês é a gestão de fornecimento. O que é isso?

Bem, imagine uma grande indústria, como uma montadora, por exemplo, que recebe produtos em aço de vários fornecedores diferentes. Para facilitar a vida de todo mundo e garantir altos níveis de produtividade, a Soluções Usiminas desenvolveu um sistema de gestão de todos os produtos processados que entram nessa montadora, desde chapas de aço com tamanho pequeno, para estampar peças mais básicas, como um macaco, por exemplo, até fundos de chapa para estampar uma lateral, a parte superior ou a traseira de um veículo, sem a necessidade de manter todos esses itens no estoque da fábrica, por meio de entregas just in time para toda a cadeia de fornecimento que orbita em torno dela. Dessa forma, com a nossa gestão, evitamos que nossos clientes tenham despesas excessivas com armazenagem e consigam trabalhar com maior eficiência, assim como os fornecedores, sem se preocupar com questões como análises de crédito, por exemplo.

Ou seja, com isso, entre outras coisas, vocês conseguem reduzir o custo de logística dos clientes da Soluções Usiminas?

Sim. Mas a questão aqui não é só redução de custo, como também aumento de produtividade, oferecendo a nossos clientes segurança, controle e garantia de entrega desses itens dentro dos prazos determinados. E além da eliminação da necessidade de se manter estoques enormes nas fábricas, ocupando espaços que poderiam ser destinados a outras finalidades, naturalmente zeramos para eles a obrigação de fazer investimentos na aquisição de máquinas e equipamentos para fazer os serviços mais elementares de processamento dentro de seus parques industriais, para que, assim, nossos clientes possam se concentrar nas atividades mais sofisticadas e diretamente ligadas aos seus produtos finais. Grandes montadoras como Volkswagen, Fiat, Toyota e John Deere já fizeram essa opção e são clientes da Soluções Usiminas.

Mas como funciona o processo de aquisição do aço junto às usinas?

Na maioria dos casos, a Soluções Usiminas faz a programação de compra da matéria-prima na Usiminas, fatura para a empresa-cliente aquilo que ela precisa, faz o processamento nas formas, volumes e prazos que ela precisa, e cuida da entrega no just in time.

Pelo que você está dizendo, a indústria automotiva é o maior dos clientes da Soluções Usiminas, não é mesmo?

Atendemos a todos os setores, mas, sim, temos um nível de terceirização maior no setor automotivo, que vem evoluindo muito bem nos últimos tempos. Aliás, no contexto de crise em que vivemos atualmente, é um dos que melhor se recuperou, até mesmo dentro da perspectiva de atendimento a novos mercados, via aumento das exportações. Dessa forma, podemos dizer que a Soluções Usiminas não faça exportações e atenda exclusivamente o mercado nacional, está contribuindo, ainda que indiretamente, para o incremento das operações do comércio exterior do país e para a internacionalização dos produtos brasileiros.

Com tantas boas expectativas, vocês estão pensando em planos de expansão ou já estão, concretamente, implementando ações nesse sentido?

Bem, temos grandes ambições, mas sempre com os pés no chão, até porque o cenário atual é de muita ociosidade de ativos. Trabalhamos com recursos próprios, somando esforços com outras empresas. Então, investir no momento atual é algo que precisa ser feito com muita cautela e inteligência. Estamos apostando num mercado mais exigente, que busca mais sofisticação. Por conta disso, temos que estar sempre muito atentos a tudo que está acontecendo de mais inovador e com maior potencial, como as mudanças tecnológicas e o cenário de tendências. Temos tido uma vida bastante agitada por aqui, com interface com muitas empresas e institutos de pesquisas voltados ao ambiente de inovação, com muitas startups, que trouxemos para dentro da empresa para nos ajudarem no desenvolvimento de soluções para temas específicos. Em síntese, estamos atualizados, e costumo brincar que estamos preparados até para cinco ou dez “bombas-relógio” que podem explodir a qualquer momento. (risos)

Se não é a expansão, qual é o maior plano da empresa no momento atual?

Nossa ambição é sermos a plataforma de desenvolvimento da produtividade de, pelo menos, 5 mil empresas do setor metal mecânico brasileiro. Só que a gente tem que fazer isso processando 100 mil toneladas/mês de aço. Falo sempre para o pessoal não esquecer disso. (Risos) Ou seja, temos que ter, repito, muito pé no chão. Temos que ter o sonho, mas, antes, cumprir a obrigação.