Guia_2019

SB_Mkt_Geral




Estatísticas

Distribuidores de aço não conseguem a recuperação esperada

Diante do quadro de incertezas e instabilidade por que passa o nosso país o setor de distribuição e processamento de produtos siderúrgicos amarga mais um mês com resultados pífios.

Segundo dados estatísticos divulgados pelo Comitê de Inteligência Competitiva do Inda/Sindisider as vendas de aços planos em setembro contabilizou recuo de 13,8% quando comparada a agosto, atingindo o montante de 257,9 mil toneladas contra 299,2 mil toneladas. Ao considerarmos o mesmo mês do ano passado, quando foram vendidas 265,4 mil toneladas, a queda registrada foi de 2,8%.

Já as compras junto as usinas produtoras foram de 244,4 mil toneladas que representa uma queda de 18,6%. Se considerarmos setembro do ano anterior a queda é de 7,2%.

Com este movimento o giro dos estoques subiu, fechando em 3,5 meses de estoque, quando o ideal é no máximo 2,7 meses, e atingiram o montante de 906,3 mil toneladas com queda de 1,5%.

Quanto às importações houve um avanço de 14,4% em relação ao mês anterior,com volume total de 113,6 mil toneladas. Comparando-se ao mesmo mês do ano anterior (136,4 mil ton), as importações registraram recuo de 16,8%. Segundo Carlos Jorge Loureiro, presidente executivo das entidades as projeções para outubro de 2018, refletem uma expectativa da rede associada de manutenção nos mesmos patamares das compras e vendas.

inda sindisider

Produção de aço mostra pequeno crescimento

Segundo dados divulgados pelo Instituto Aço Brasil em setembro de 2018 a produção brasileira de aço bruto foi de 3 milhões de toneladas, o que representou um crescimento de 2,5% em relação ao mesmo mês no ano passado. Neste período a produção de laminados foi de 2,1 milhões de toneladas, com um aumento de 10,8% na mesma base de comparação. Já a produção de semiacabados para vendas totalizaram 735 mil toneladas e diminuiu 17,9% 2 em relação ao mesmo mês do ano anterior.

No quesito vendas internas elas registraram um crescimento de 5,7% em relação ao mês anterior atingindo 1,6 milhão de toneladas. O consumo aparente cresceu em 3,2% atingindo 1,8 milhão de toneladas. As importações de setembro de 2018 alcançaram 224 mil toneladas e US$ 231 milhões, resultando em um crescimento de 1,4% em quantum e uma alta de 7,4% em valor na comparação com setembro de 2017.

Com respeito às exportações o IABr explicou que SECEX/MDIC mudou a metodologia de coleta dos dados do Portal Único de Comércio Exterior, o que poderá gerar alterações e revisões significativas nos resultados acumulados até setembro, assim como ocorreu em agosto. Até que o sistema esteja normalizado, de forma a dar continuidade à tendência original dos dados, o Instituto Aço Brasil optou por não publicar, temporariamente, os indicadores de exportação da SECEX/MDIC.

iaBr