Banner Superior 2

Banner_Adsense_01

capaGC2017
Tubos 2017

SB_Mkt_Geral


A TÉCNICA DA CONSTELAÇÃO EMPRESARIAL
A Constelação Empresarial é uma técnica de gestão que nos permite trazer à consciência algumas regras não ditas, algumas políticas que não são comentadas, e as influências que algumas pessoas ou áreas exercem nas empresas, ainda que não divulgadas claramente.
 
Juliana Isliker*
 
A Constelação surgiu como uma técnica terapêutica, voltada para a cura das pessoas no ambiente de seus sistemas familiares. Ela foi descoberta pelo alemão Bert Hellinger, que fez uma série de pesquisas com famílias, sistemas familiares e também empresas. A aplicação da técnica usa dinâmicas de grupo, psicodrama, inconsciente coletivo (descrito e largamente estudado por C. G. Jung, discípulo de Freud) e mecânica quântica. Depois de um tempo, percebeu-se a extensão da Constelação para todos os sistemas, não apenas o familiar, mas também os benefícios de se utilizar a Constelação no âmbito empresarial.
 
Como funciona afinal?
As empresas no seu íntimo são formadas por pessoas e a Constelação traz à tona alguns assuntos ou problemas que estão no inconsciente destas pessoas que fazem parte de todo o sistema.
Um sistema é um conjunto de pessoas que estão ligadas pelo mesmo fim. Quando falamos em sistema familiar a ligação é clara – estamos na mesma história pelos laços familiares, pelo nascimento, pela cultura familiar, pelos sentimentos envolvidos.
Quando falamos de Constelação para empresas, podemos entender o Sistema Empresarial como a empresa que é um ser inanimado e os funcionários que trabalham nela. É quase como se falássemos da cultura da empresa, porém de uma maneira bem mais profunda. O sistema tem a ver com os fundadores da empresa e as histórias incluindo vitórias e derrotas que eles tiveram para construi-la. Tem a ver com os heads de departamentos, com os diretores e vice-presidentes. As histórias se fundem e criam esse sistema no qual todos os funcionários, terceiros, associados e até mesmo os clientes fazem parte.
Um princípio da Constelação é que todos os sistemas buscam o equilíbrio, conhecendo ou não a história e os ingredientes dela vai haver uma interação e eles vão sempre buscar o equilíbrio com base nas três Ordens do Amor, assim chamadas por Hellinger.
 
Como tais Ordens atuam nas empresas?
  • Ordem do Direito de Pertencer
Nas empresas o direito de pertencer deve ser dado a todos os funcionários que trabalham lá, por meio de contrato assinado, ou acordo de prestação de serviços. Quando os funcionários não têm um vínculo formal, a informalidade pode estar estabelecida, o “respeito” ao funcionário é perdido e a empresa como um todo é enfraquecida.
Outra questão é quando um funcionário é desligado, por qualquer que seja o motivo. Se essa decisão é claramente comunicada e formalizada, há a aceitação e o respeito. Entretanto caso o funcionário não pertença mais às atividades da empresa, mas fica “encostado” porque ninguém quis comunicar que ele não faz mais parte, ou porque é difícil tomar a decisão, também se perde o respeito à ordem do direito de pertencer e a empresa é enfraquecida.
  • Ordem da Hierarquia
A hierarquia na Constelação obedece ao tempo. Quem chega antes na empresa conhece mais sobre a cultura, sobre o histórico, sobre tudo o que aconteceu. Quem vem depois, mesmo que em um cargo mais alto precisa respeitar quem estava antes, ouvindo, aprendendo e entendendo o contexto, para então poder tomar as decisões mais adequadas para aquele sistema.
Se isso não acontece, a empresa e o sistema todo é enfraquecido, e muitas vezes quem veio depois não adquire forças para continuar na empresa e acaba saindo.
  • Ordem do Equilíbrio de Troca
Em uma empresa o funcionário presta um serviço dedicando horas de seu trabalho, enquanto que a empresa o recompensa por isso, pagando seu salário e benefícios previamente acordados – isso é uma troca equilibrada.
Quando a troca é desequilibrada para qualquer um dos lados, ou seja, a empresa dando demais, sendo paternalista, ou o funcionário dando demais, trabalhando mais do que é esperado ou pelo que recebe, há um novo desequilíbrio, que impacta a empresa como um todo.
Nos três casos, quando as ordens não são cumpridas, há o que chamamos de “emaranhamentos”, que são como se fossem “nós energéticos”. Onde se forma este nó a energia positiva deixa de fluir.
 
Mas por que os emaranhamentos acontecem?
Quando fazemos uma Constelação podemos entender o que há por trás, podemos olhar para o que não conseguimos através do nosso conhecimento apenas da superficialidade e não dos sistemas como um todo e podemos colocar em ordem, tendo mais consciência de onde estão os problemas e começarmos a agir!
A Constelação Empresarial pode ajudar a empresa que passa por questões financeiras a decolar, a ajudar a encontrar funcionários que mais têm a ver com o perfil da empresa, a ajudar organizar e direcionar problemas e criar consciência para uma gestão mais equilibrada.
Finalizando, como referência no Brasil, a Natura, a GE e algumas outras empresas de ponta já se utilizam da técnica da Constelação Empresarial em sua gestão.
 
*Juliana Isliker é engenheira formada pelo ITA – Instituto Tecnológico de Aeronáutica; MBA em Recursos Humanos pela USP-FIA; Pós graduada em Educação pela PUC-Campinas. Tem sua certificação em Coaching pelo ICI – Integrated Coaching Institute com reconhecimento internacional pela ICF – International Coaching Federation e formação em Constelações Familiares pela Simone Arrojo.
Fundou a Juliana Isliker Desenvolvimento Humano e conduz processos de Constelação Sistêmica, Coaching Executivo e de Carreira, Assessment Executivo e Desenvolvimento de Lideranças. É coautora do livro: O Poder da Constelação em 27 Relatos. Facilita Workshops de Constelação Familiar e Empresarial.
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.